‘Legislação trabalhista é fascista’, diz relator

‘Legislação trabalhista é fascista’, diz relator

.

Luiza Pollo

09 Fevereiro 2017 | 05h00

 

Foto: Reprodução/Facebook

Foto: Reprodução/Facebook

Indicado para relatar a proposta de Reforma Trabalhista, o deputado Rogério Marinho (PSDB-RN) deverá ser oficializado hoje no posto e tem diagnóstico duro sobre a atual legislação do setor. Para ele, as leis que regem o trabalho no Brasil “ficaram anacrônicas”. Marinho apoia a ideia do governo de rever a legislação como forma de garantir empregos. E critica a inspiração da CLT. “Modernizar a lei é imposição do tempo atual. A turma não gosta de falar, mas a legislação é fascista. É baseada na ‘Carta del Lavoro’, de Benito Mussolini, de 1927”, afirma.

Siga a Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao