Joaquim Barbosa ganha passaporte diplomático

Joaquim Barbosa ganha passaporte diplomático

Coluna do Estadão

09 Abril 2018 | 05h30

Fora do Supremo desde 2014, o ex-ministro Joaquim Barbosa ganhou passaporte diplomático do Itamaraty. A legislação não prevê o benefício a ex-ministros da Corte. O ministério diz que ele foi enquadrado no Decreto 5.978/2006, que permite conceder o documento a “pessoas de interesse do País”. Barbosa acaba de ingressar no PSB e pode disputar o Planalto. Além dele, o ex-ministros do STF Sepúlveda Pertence, Eros Grau e Ellen Gracie também têm o passaporte. Em comum, todos atuam como advogados. Sepúlveda tem como cliente o ex-presidente Lula.

Tudo de bom. Entre as vantagens desse tipo de passaporte está o acesso diferenciado em aeroportos, dispensa de visto em alguns países, e o fato de ter custo zero. A autorização para Barbosa foi publicada no último dia 3 no Diário Oficial da União.

Com a palavra. A assessoria de Joaquim Barbosa disse que ele não irá comentar. Procurado na sexta, o Supremo afirmou que não tinha informação a respeito. Segundo o Itamaraty, o pedido partiu da Corte.

Atento. O juiz Sérgio Moro acompanhou a operação da PF para prender o ex-presidente Lula. Ele pediu informações ao órgão e uma solução para o impasse, já que o prazo para o petista se entregar era sexta, às 17h. Lula se rendeu apenas no sábado, às 18h40.

Você por aqui? A porta da sala em que Lula está preso não será trancada com chave. Se ele tentar sair, encontrará dois agentes do lado de fora. A medida é por segurança, caso seja necessário entrar no local rapidamente.

Haja assunto. Como está isolado, os dois agentes serão os únicos a conversar com Lula no dia a dia.

O cara. Escolhido pelo presidente Temer para o Ministério das Minas e Energia, como revelou o blog da Coluna ontem, Moreira Franco demonstrou sua força no governo. O setor defendia Paulo Pedrosa.

Super… Moreira também continuará dando a última palavra na distribuição da verba de publicidade, apesar de a atribuição passar para as mãos de Márcio de Freitas e Elsinho Mouco, que continua como diretor de inovação digital.

Pa-ra-di-nha. Apresentada há dez meses, a denúncia de que Aécio teria recebido R$ 2 milhões da JBS ainda não tem data para ser julgada. Todas as manifestações já foram apresentadas, mas falta o relator, ministro Marco Aurélio Mello, liberar para julgamento.

Temido. O caso será julgado pela 1.ª Turma, conhecida como “câmara de gás”, por sua rigidez. Além de Marco Aurélio, conta com Alexandre de Moraes, Rosa Weber, Luís Roberto Barroso e Luiz Fux.

Outro lado. O senador diz que o dinheiro é referente a compra de um imóvel e que não envolveu dinheiro público e tampouco contrapartida, não havendo qualquer ilegalidade.

CLICK. A conta oficial da Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo no Twitter postou uma mensagem contra a prisão de Lula. O texto foi apagado em seguida.

 

Com a palavra. “Nosso Twitter foi hackeado ou maldosamente usado por alguém da gestão passada que tinha a senha”, justificou a secretaria, referindo-se ao governo do petista Fernando Haddad.

SINAIS PARTICULARES. Renan Calheiros; por Kleber Sales

Bola de cristal. O senador Renan Calheiros (MDB-AL) tem apostado num segundo turno entre os presidenciáveis Lula (ou quem ele apoiar) e Jair Bolsonaro (PSL). Acha que os candidatos de centro patinam porque só roubam votos deles mesmos.

PRONTO, FALEI!

Rodrigo Garcia. Foto: Dida Sampaio/Estadão

“A refundação da legenda e a nossa oposição durante os governos do PT foram o segredo do sucesso”, DO LÍDER DO DEM NA CÂMARA, RODRIGO GARCIA, sobre o crescimento do DEM durante a janela partidária.

COM REPORTAGEM DE NAIRA TRINDADE, LEONEL ROCHA e ISADORA PERON. COLABOROU BRENO PIRES

Coluna do Estadão:
Twitter:
 @colunadoestadao
Facebook:
 facebook.com/colunadoestadao
Instagram:
 @colunadoestadão