JBS teme ser retaliada pelo governo Temer

JBS teme ser retaliada pelo governo Temer

Coluna do Estadão

18 Junho 2017 | 05h30

Sinais Particulares – Michel Temer

 

Executivos da JBS procuraram dirigentes da Receita Federal preocupados com especulações de que o governo havia determinado uma devassa nas contas da empresa. Seria uma retaliação pelo fato de Joesley Batista ter acusado o presidente Michel Temer de receber propina em depoimento de delação premiada. Os interlocutores da empresa receberam uma negativa como resposta, mas foram avisados de que há vários procedimentos instaurados envolvendo firmas do grupo J&F e outros serão abertos com base nos crimes que seus donos confessaram.

Recado. Na conversa com a alta cúpula da Receita, o representante da JBS mencionou ter ouvido dizer que José Guilherme Antunes de Vasconcelos, superintendente do órgão em SP, é muito próximo ao presidente Michel Temer.


Prepara o bolso. A Receita Federal tem sido impiedosa com as empresas investigadas. Desde que a Operação Lava Jato foi instaurada, as multas para pessoas físicas e jurídicas já chegam a R$ 15 bilhões.

É pesado. Contra alvos da Operação Zelotes, que investigou corrupção no Carf e tráfico de influência envolvendo o ex-presidente Lula e seu filho mais novo, as multas já em cobrança somam R$ 150 milhões.

CLICK  – Para promover a 21ª Parada LGBT, que ocorre hoje, em São Paulo, o vice-prefeito Bruno Covas postou foto com a drag queen Tchaka e do prefeito João Doria.

Foto: Facebook Bruno Covas

Resolve isso. Aliados do Planalto avaliam que o governo exagera ao obstruir todas as sessões da CCJ da Câmara para impedir a votação da emenda que prevê eleições diretas em caso de afastamento do presidente.

Me bate. Para governistas, ao manter a barreira na CCJ, o governo oferece palanque gratuito à oposição, além de passar a mensagem de que teme perder.
Quem vai comandar. A antecipação do Congresso do PSDB fará com que o partido efetive o senador Tasso Jereissati (CE) como presidente do partido no lugar de Aécio Neves.
Tudo sigiloso. Chegou na última terça-feira ao ministro Edson Fachin, do STF, um requerimento de informação de oito folhas de autoria de uma CPI do Congresso pedindo informações sobre a Lava Jato.

Empurrão. Três dias antes de o ministro da Cultura pedir demissão, a UnaReg, que representa os servidores de dez agências reguladoras, enviou carta ao ministro Eliseu Padilha (Casa Civil) o criticando.

Escada abaixo.  Na carta, a UnaReg atacou a indicação de Débora Ivanov para a presidência da Ancine. O nome foi ignorado pelo governo, o que levou João Batista a pedir demissão.
Eu decido. O governo quer Sérgio Sá Leitão na presidência da Ancine.

Vai não vai. O governador Robinson Faria vai cobrar de Pedro Parente (Petrobrás) a exploração de petróleo no RN.

Bolso vazio. Ele tem se queixado de que “está tudo parado” e, com isso, a arrecadação despencou. Faria chegou a comentar o assunto com Temer, que mandou bater na porta de Parente.

De cama. O ministro Herman Benjamin passa o feriado em casa ainda se recuperando da gripe que o acompanhou durante o julgamento da chapa Dilma-Temer.

A SEMANA

Segunda-feira, 19 de junho – Temer faz viagem oficial para Rússia e Noruega

Apesar da crise, Michel Temer embarca amanhã para a Rússia, mesmo dia em que a PF finaliza inquérito contra ele. Na quarta, segue para a Noruega e retorna sexta ao Brasil.

Terça-feira, 20 de junho – Votação da reforma trabalhista na CAS do Senado

O relatório de Ricardo Ferraço será votado na Comissão de Assuntos Sociais e deverá ser aprovado pelos senadores.

Siga a Coluna do Estadão:
Twitter: @colunadoestadao
Facebook: facebook.com/colunadoestadao

 

Mais conteúdo sobre:

JBS
0 Comentários