Governo tenta reverter reajuste de tarifa de trens

Governo tenta reverter reajuste de tarifa de trens

Coluna do Estadão

10 Maio 2018 | 05h30

Foto: CBTU

Após a repercussão negativa do anúncio de reajuste de 100% no valor de tarifas da Companhia Brasileira de Trens Urbanos a partir de sexta-feira, o governo está tentando evitar o desgaste político com o aumento das passagens ferroviárias em Belo Horizonte, Recife, Maceió, João Pessoa e Natal. O presidente da comissão de Transportes da Câmara, Domingos Sávio (PSDB-MG), que negocia uma saída com o Planalto, diz que a ideia é aumentar em R$ 28 milhões o orçamento de custeio da empresa para cobrir custos operacionais e evitar o reajuste.

Engordando o caixa. Domingos Sávio também negocia com a área econômica o remanejamento de R$ 93 milhões do orçamento da União para a CBTU. Em troca, diz ele, a empresa poderia recompor as tarifas em cinco anos e não de uma só vez. Os preços estão congelados há até 15 anos.

Com a palavra. O presidente da CBTU, José Marques, admite reverter o reajuste se o governo encontrar alternativa para a capitalização da empresa.

Teste. Apesar da desistência de concorrer ao Palácio do Planalto, o ex-ministro Joaquim Barbosa (PSB) ainda vai aparecer nas próximas pesquisas. Duas foram registradas no TSE antes do movimento dele.

Janela fechada. O Planalto consultou informalmente a TV Globo sobre se a emissora veicularia uma mensagem do presidente Temer no quadro Que Brasil você quer para o futuro?, veiculado nos telejornais da emissora. Ouviu como resposta que o espaço não é para candidatos.

Vem aí. Depois da Ponte para o Futuro, o MDB prepara novo documento com propostas para o País, o Encontro com o Futuro.

Chumbo… A candidatura de Dilma Rousseff ao Senado é uma das razões pelas quais a direção do MDB veta aliança com o PT em Minas. Romero Jucá diz que não vai dar palanque para ela acusá-los de golpistas.

…trocado. Já Dilma não aceita trocar o Senado pela Câmara caso a aliança com o MDB se mantenha. A petista não quer ajudar, com seus votos, a eleger deputados que apoiaram seu impeachment.

Oposição. Presidente do BNDES até março, Paulo Rabello concorre ao Planalto pelo PSC com críticas à equipe econômica da qual fazia parte. Diz que Henrique Meirelles, seu ex-chefe e também presidenciável, “não tem um bom projeto para recuperar o País”.

Mistério. A Operação Déjà Vu avançou sobre propina da Odebrecht para membros do MDB. Entre delatores da empreiteira, há uma pergunta no ar. Por que nunca perguntam quem é Tremito e Mestre? Codinomes de destinatários da propina.

CLICK. A Câmara vai servir café Odebrecht. Apesar de carregar o nome da empreiteira envolvida na Lava Jato, a empresa de Londrina não tem relação com o grupo.

COLUNA DO ESTADÃO

Calma, gente. Diante da polêmica nas mudanças em torno da Secretaria Nacional do Consumidor, rebatizada de Secretaria de Relações de Consumo, Torquato Jardim (Justiça) voltou atrás. Será publicado novo decreto. A Câmara ameaçou convocá-lo para se explicar.

Tá melhorando. Após conversa com o secretário de Segurança do Rio, general Richard Fernandez Nunes, o presidente dos Correios, Carlos Fortner, decidiu avaliar a extinção da taxa de segurança de R$ 3,00 para os moradores da cidade e da região metropolitana.

SINAIS PARTICULARES. Carlos Fortner, presidente dos Correios; por Kleber Sales

PRONTO, FALEI!

Paulinho da Força (SP) | Estadão

“É estranho que Ciro Gomes, que fala em revogar a reforma trabalhista, se junte com um empresário”, DO DEPUTADO PAULINHO A FORÇA, PRESIDENTE DO SOLIDARIEDADE, sobre a possível dobradinha com Benjamin Steinbruch. O empresário se filiou ao PP.

COM REPORTAGEM DE NAIRA TRINDADE E LEONEL ROCHA

Coluna do Estadão:
Twitter:
 @colunadoestadao
Facebook:
 facebook.com/colunadoestadao
Instagram:
 @colunadoestadão