Disputa pela sucessão da Câmara será tensa
As informações e opinões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Disputa pela sucessão da Câmara será tensa

-

Coluna do Estadão

08 Julho 2016 | 05h00

Foto: André Dusek/Estadão

Foto: André Dusek/Estadão

A disputa pela presidência da Câmara, aberta com a renúncia de Eduardo Cunha, será sangrenta. Favorito entre os inúmeros candidatos, Rogério Rosso (DF) sofrerá os maiores ataques. Será cada vez mais relacionado como candidato de Cunha, escolhido por ele para manobrar a seu favor no processo de cassação. Um importante líder sinaliza a temperatura: “Rosso sai com uma base de votos, mas vai realizar uma campanha contaminada”. Rodrigo Maia (RJ), outro nome forte, já foi alinhado a Cunha, mas a pecha deverá mesmo ficar com Rosso.

Peemedebistas não querem um nome “hostil” a Cunha no comando da Casa. Se não houver consenso em torno de Rosso, podem lançar Osmar Terra, Sérgio Souza ou Carlos Marun.

Siga a Coluna do Estadão:
No Twitter: @colunadoestadao
No Facebook: www.facebook.com/colunadoestadao