Com prejuízo bilionário, Correios patrocinam até squash

Com prejuízo bilionário, Correios patrocinam até squash

Coluna do Estadão

20 Março 2018 | 05h30

Foto: Wilton Júnior/Estadão

Mesmo acumulando prejuízos bilionários há cinco anos consecutivos e fechando 2017 no vermelho em mais de R$ 2 bilhões, os Correios acabam de aprovar patrocínio de R$ 700 mil para financiar a Confederação Brasileira de Squash, esporte pouco popular no Brasil. A justificativa é que a modalidade pode ser incluída na Olimpíada de 2024. Os Correios também reservaram R$ 1,9 milhão para financiar até 2019 outra modalidade com poucos adeptos no País, o rugby. Justifica que o esporte “propicia a participação de diversos portes físicos”.

Mãozinha. O deputado Fábio Faria (PSD-RN), que ocupa a 12.ª posição no ranking Novo Squash Brasil, diz que “sondou” o presidente dos Correios, Guilherme Campos, seu colega de partido, sobre o patrocínio, mas nega ter intermediado a liberação da verba.

Com a palavra. O presidente dos Correios afirma que o pedido partiu da Confederação de Squash e que o valor do patrocínio é baixo e não vai afetar as contas da empresa. Esta é a primeira vez na história que os Correios patrocinam o squash.

Batata… Assim que soube que seria o relator do habeas corpus coletivo contra a prisão de condenados em segunda instância, Gilmar Mendes decidiu que iria indeferi-lo, como revelou o blog da Coluna.

…quente. O despacho, contudo, saiu mais rápido do que o ministro planejava para acabar com especulações de que poderia conceder o HC, medida que beneficiaria o ex-presidente Lula e qualquer preso nessas condições.

 

SINAIS PARTICULARES. Luís Inácio Lula da Silva, ex-presidente; Por Kleber Sales

Sem mágica. Ministros do Supremo costuram uma alternativa para voltar a discutir a prisão após segunda instância, apesar das resistências das presidente do Supremo, Cármen Lúcia. A ideia é que um deles provoque a discussão no plenário da Corte.

Passar longe. O presidenciável Álvaro Dias (Podemos) decidiu não desperdiçar energia viajando pelo Nordeste atrás de eleitores. Pesquisas indicam que o ex-presidente Lula, candidato do PT ao Planalto, ainda é o favorito na região.

Meu destino. Dias vai se dedicar a percorrer o Sul e Sudeste do País, onde acha que tem mais chances. Em Minas, subirá no palanque do colega Vittorio Mettioli.

Muy amigos. Michel Temer nomeou um dos seus advogados na ação que pedia a cassação da chapa Dilma-Temer no TSE para a Comissão de Ética Pública. Paulo Henrique Lucon vai substituir Américo Lacombe, indicado por Dilma.

Conhecido. Lucon diz ter colaborado como “advogado consulente” na ação e nega ser amigo de Temer. “Eu conheço, mas amigo é aquele que frequenta sua casa”, justifica.

É bom. O Palácio do Planalto diz que Lucon foi escolhido pelo “alto nível de formação acadêmica”.

CLICK. Em silêncio sobre a morte de Marielle Franco, o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL-RJ) posta foto com os filhos tomando sorvete com paçoca de amendoim.

Fogo. O ministro Carlos Marun bateu boca com o deputado João Arruda (PR) no grupo de WhatsApp da bancada do MDB na Câmara, no sábado. O único termo publicável do diálogo é “patife”, forma como o auxiliar de Temer se referiu ao colega de partido, que devolveu com palavrões.

Estopim. Arruda se queixou no grupo de que o ministro ameaça quem discordar de projetos do governo boicotando e dificultando liberação de emendas. Os dois confirmam a briga.

 

PRONTO, FALEI!

Foto: Dida Sampaio/Estadão

“Os juízes podem prender os políticos corruptos, mas só os eleitores podem escolher os honestos”, esperançoso por mudanças na política brasileira”, DO SENADOR CRISTOVAM BUARQUE (PPS-DF), esperançoso nas mudanças da política brasileira. 

COM REPORTAGEM DE NAIR TRINDADE E LEONEL ROCHA. COLABOROU JULIA LINDNER

Coluna do Estadão:
Twitter:
 @colunadoestadao
Facebook:
 facebook.com/colunadoestadao
Instagram:
 @colunadoestadão