Câmara avalia votar hoje indicação ao CNJ

Luiza Pollo

07 Dezembro 2016 | 12h51

Foto: André Dusek/Estadão

Foto: André Dusek/Estadão

A expectativa de entrar finalmente na pauta de votação desta quarta-feira, 7, a escolha da indicação à vaga do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) movimentou o cenário. Se colocado em votação mesmo sem acordo, o vencedor pode ser escolhido por uma margem de 70 votos. Isso porque há pelo menos sete candidatos na disputa.

Apoiada pelo presidente do Senado, Renan Calheiros, Ana Luísa Marcondes desistiu de concorrer após o ministro Gilmar Mendes, do Supremo, indicar, de maneira informal, a procuradora do Ministério Público do Paraná Maria Tereza Uille para a vaga. Ao sair, Ana Luísa justificou que a disputa “politizou-se nesta reta final, colocando a possibilidade uma discussão mais profunda em segundo plano”.

Estão ainda na disputa o nome de Heráclito Fortes, Felipe Cascaes; Alex Machado Campos; Anderson Alves Garcia; José Augusto Torres (Guto): Lucas de Castro Rivas e Maurício Vasconcelos. (Naira Trindade)