Aliados querem Serra na disputa pelo Planalto em 2018

Aliados querem Serra na disputa pelo Planalto em 2018

Luiza Pollo

26 Novembro 2017 | 05h30

As dificuldades eleitorais do governador Geraldo Alckmin, que aparece na última pesquisa Ibope de outubro com 5% das intenções de voto, têm estimulado outros tucanos a sonhar com uma candidatura ao Planalto. O senador José Serra (SP) passou a ser aconselhado por seu grupo a disputar as prévias que vão definir o nome do PSDB ao Planalto e não tem desautorizado seus interlocutores. Os serristas avaliam que ele conseguiria bater Alckmin na disputa interna. Fora do radar de 2018, o nome de Serra não foi testado nas pesquisas eleitorais.

Pronto… Na última quarta, Serra fez graça numa palestra para políticos italianos ao afirmar que eles já perderam duas oportunidades de ter um presidente do Brasil com descendência italiana, referindo-se a 2002 e 2010 quando perdeu para Lula e Dilma.

…falei! E, em seguida, Serra lançou: “Quem sabe no futuro vocês não elejam um”. O comentário animou ainda mais os entusiastas do seu nome.

Plano B. Se o plano presidencial não decolar, Serra pode ser candidato ao governo de São Paulo. Ele também tem recebido apoio de prefeitos para a disputa estadual.

Empolgou. O PMDB de São Paulo está animado com pesquisas internas que mostram bom desempenho eleitoral de Paulo Skaf na disputa pelo governo em cidades do interior.

Separa… Mendonça Filho (Educação) e Moreira Franco (Secretaria-Geral da Presidência) bateram boca quando foi noticiado que os ministros candidatos em 2018 seriam substituídos até dezembro.

…que é briga. Mendonça cobrou de Moreira explicações e teve de ser contido. Só acalmou quando o presidente Temer garantiu sua permanência no cargo até abril, prazo final do calendário eleitoral para desincompatibilização.

Tenho dito. Após solenidade no Planalto quinta, Mendonça disse: “Todos sabem que sou candidato, mas por enquanto meu foco pleno e total é no MEC”. Moreira não comentou. Pelo Twitter ele já disse que a ideia foi do ministro Aloysio Nunes (Relações Exteriores).

CLICK. O presidente Michel Temer e os ministros Mendonça Filho e Antonio Imbassahy brincam com o ministro Gilberto Kassab após ele discursar em cerimônia no Planalto.

Foto: Alan Santos – PR

Subiu. Foi parar no Superior Tribunal de Justiça (STJ) processo aberto pelo prefeito de São Bernardo do Campo, Orlando Morando (PSDB), contra o ex-vereador Marcos Lula (PT), filho do ex-presidente Lula. A decisão é do Tribunal de Justiça de São Paulo.

O caso. O tucano ingressou com queixa-crime contra Marcos Lula, que em 2015 o acusou pelo Facebook de defender a repressão policial contra estudantes que ocupavam escolas. O processo é contra a honra. A defesa de Lula tem negado cometimento de crime.

Aval. O governador do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão, sonha com a aprovação de projeto que permite a oferta dos royalties a receber pelos Estados produtores de petróleo como garantia para empréstimos internacionais. O texto já foi aprovado na CCJ na Câmara dos Deputados.

Fazendo caixa. Se virar lei, Pezão pretende tomar US$ 1 bilhão emprestado em um banco estrangeiro para reduzir o déficit nas contas do Rio de Janeiro.

Sinais Particulares: Luiz Fernando Pezão, governador do Rio de Janeiro; por Kleber Sales

 

A SEMANA

Segunda-feira, 27 

Câmara começa a debater a reforma da Previdência

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, convocou sessão extraordinária para iniciar as discussões sobre as aposentadorias.

Terça-feira, 28

A CPMI da JBS colhe depoimento de Joesley Batista

Em sessão conjunta com a CPI da BNDES, a comissão da JBS ouve o empresário que gravou o presidente Michel Temer.

COM REPORTAGEM DE NAIRA TRINDADE E LEONEL ROCHA

Siga a Coluna do Estadão:
Twitter:
 @colunadoestadao
Facebook:
 facebook.com/colunadoestadao
Instagram:
 @colunadoestadão