Aliado ajuda Bolsonaro a adiar julgamento de ação por apologia ao estupro

Aliado ajuda Bolsonaro a adiar julgamento de ação por apologia ao estupro

Coluna do Estadão

08 Abril 2018 | 07h00

SINAIS PARTICULARES – JAIR BOLSONARO
ILUSTRAÇÃO – KLÉBER SALES

 

Testemunha de defesa do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) na ação penal por injúria e apologia ao crime de estupro, o deputado Pastor Eurico avisou à Justiça que só tem disponibilidade para depor após 25 de agosto. Com isso, a oitiva de Bolsonaro ficará para agosto.

LEIA MAIS: PT prometeu expulsar quem cometeu malfeito

Pastor Eurico justificou compromissos com as eleições e não descarta adiar de novo para depois do pleito. O adiamento interessa a Bolsonaro que, se condenado, pode ter o registro da candidatura questionado no TSE.