Veículo ‘fujão’ pode acabar desvalorizado?

Marcelo Moreira

20 Dezembro 2010 | 13h14

Saulo Lux

O carro que tem muitas convocações de recall (por problemas graves) ou que não tenha atendido a nenhum recall poderá perder valor no momento em que o consumidor for colocá-lo à venda. O alerta é de Josué Rios, advogado especializado em direito do consumidor e colunista do JT.

Na opinião de Rios, mais uma vez, estão transferindo conta alheia para o consumidor. “O recall já é fruto da insegurança dos carros produzidos pela indústria automobilística. No entanto, é o consumidor quem vai pagar a conta, mais uma vez. Um automóvel com um histórico recheado de Recalls pode desvalorizar, causando um prejuízo futuro ao consumidor”, diz.

Já AyrtonFontes, economista da agência de varejo automotivo MSantos, acredita que o fator não vai ter impacto tão grande, pelo menos a princípio. “A maioria dos compradores de carros usados não está preocupada com isso.

Para ele, o que vale é o estado geral do veículo e fazer uma inspeção, avaliando as condições do carro pessoalmente”, diz.

Mesmo assim, ele lembra que o nível de exigência varia de acordo com o consumidor. “O sujeito que só compra carro na concessionário tem um nível de exigência maior e pode ser que queira algum beneficio para contrapor o recall que não foi realizado. Já aquele que compra de particulares ou lojas independentes tem um nível de exigência bem menor”, afirma. “De qualquer jeito, não acredito que alguém deixe de comprar um automóvel por causa das convocações ou pendências de recall”, finaliza.

Mais conteúdo sobre:

recalrecall automotivoRenavam