Eletropaulo está entre as piores do País

Marcelo Moreira

07 Maio 2012 | 07h10

Saulo Luz

A qualidade do serviço da distribuidora de energia elétrica paulista AES Eletropaulo (a maior do país) está entre as 11 piores do país. É isso o que diz o primeiro ranking das distribuidoras de energia do país em relação à qualidade do serviço prestado, divulgado pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Entre janeiro e dezembro de 2011, a agência avaliou todas as 63 distribuidoras divididas em dois grupos: 33 com mercado com mais de 1 TWh (terawatt hora) e 30 no mercado anual abaixo de 1 TWh. Dentre as maiores empresas, as piores colocadas estão na região Sudeste, Norte e Nordeste. Além da AES Eletropaulo ficar na 23 colocação, a concessionária Light (que atua na região metropolitana do Rio de Janeiro e é a 2ª maior) ficou em 31º.

“Já esperávamos esse resultado ruim da AES Eletropaulo. Isso se deve a uma série de resoluções e parâmetros de qualidade muito baixos e complicados que a Aneel estabeleceu para as empresas. Não há estímulo para as empresas melhorarem”, diz Flávia Lafevre Guimarães, advogada e consultora da Associação Brasileira de Defesa do Consumidor (Pro Teste).

Dentre as companhias paulistas, a melhor colocada foi a CPFL (SP), que ficou em 5º. A Bandeirante Energia (SP) ficou em 14º. A mais bem colocada nacionalmente foi a Coelce (Ceará) e a pior foi a Celpa (Pará).

O ranking é elaborado com base na comparação dos valores apurados de FEC (número de quedas de energia) e DEC (tempo de duração dos apagões) das distribuidoras em relação aos limites estabelecidos pela Aneel.

Procurada para comentar o ranking, a AES Eletropaulo informou que discorda da fórmula. “Esse ranqueamento é mero exercício de aritmética. Para nós o que importa é valor absoluto: em 2011, cada cliente nosso sofreu 5,45 interrupções no ano (o 4º melhor FEC do país), num total de 10,36 horas sem energia (o 8º melhor).

A fórmula do ranking se baseia em metas diferentes para cada empresa. Isso relativiza os números”, diz Sidney Simonaggio, vice-presidente de operações e comercial da AES Eletropaulo.

Em nota, a Light informa que está realizando continuamente obras de melhoria de toda a rede elétrica de sua área de concessão para oferecer um serviço com mais confiabilidade, aumentando a segurança dos sistemas e diminuindo os riscos de interrupção do fornecimento de energia elétrica.

Em 2012, a Light vai investir cerca de R$ 460 milhões para melhorar a qualidade do fornecimento de energia elétrica e atender a demanda crescente em sua área.

Já a Celpa diz que tem registrado melhora em seus indicadores de qualidade por conta de investimentos recentes e os índices em Belém (PA) já estão dentro das metas da Aneel. As distribuidoras Bandeirante Energia e CPFL foram procuradas, mas não se manifestaram.