Avianca e Gol lideram ranking de cancelamentos, diz Procon

Conforme o ranking, a Avianca foi a empresa com maior porcentual de cancelamentos domésticos: 13% (575 voos), seguida pela GOL, com 10% (2.601). Em voos internacionais, a Gol lidera, com 8%, ou seja, 54 viagens

Jornal da Tarde

20 Julho 2012 | 05h00

Heraldo Soares

As companhias aéreas Avianca e Gol estão no topo do ranking de cancelamentos de voos domésticos e internacionais divulgado nesta quinta-feira, 19, pelo Procon de São Paulo em parceria com a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Nos atrasos, a liderança do ranking está com a Avianca, nos voos internacionais, e com a Passaredo nos domésticos.

Conforme o ranking, a Avianca foi a empresa com maior porcentual de cancelamentos domésticos: 13% (575 voos), seguida pela GOL, com 10% (2.601). Em voos internacionais, a Gol lidera, com 8%, ou seja, 54 viagens.

Nos atrasos, a Passaredo está no topo da lista de voos nacionais, com 32% das aeronaves decolando com mais de 30 minutos de atraso. A Avianca lidera os atrasos internacionais, com 23% saindo com mais de 30 minutos.


A Webjet foi a companhia com menos cancelamentos e atrasos nos voos domésticos. Foram 99 voos, ou 2%, das viagens canceladas e 5%, ou 201 viagens com atraso superior a 30 minutos.

Para o diretor executivo do Procon, Paulo Arthus Goés, “o comparativo entre as empresas possibilita que o consumidor exerça seu principal direito, o de escolha”. Goés também afirmou que ainda é preciso melhorar a lista, inserindo no ranking as justificativas das empresas para os atrasos e cancelamentos dos voos.

A TAM informou, em nota, que monitora constantemente os índices de regularidade e se empenha para mantê-los altos. A empresa ressalta que o setor de aviação está sujeito às condições meteorológicas, aeroportuárias e de tráfego aéreo, que podem interferir nos índices de pontualidade e cancelamento de voos.

A Passaredo informou, também em nota, que problemas meteorológicos, registrados no último mês, nas principais bases de operações como Ribeirão Preto e São Paulo, refletiram em grande parte da malha nacional atendida pela companhia.

O vice-presidente comercial da Avianca, Tarcísio Gargioni disse à Agência Estado que quatro aeronaves sofreram problemas técnicos e tiveram que ser retiradas da frota para manutenção, representando 15% de um total de 26 aeronaves que a companhia possui.

A Gol afirma que os passageiros atingidos por atrasos e cancelamentos foram avisados previamente e realocados em outros voos.