Estadão - Portal do Estado de S. Paulo

Política

politica

Acompanhe a cobertura do 2º turno das eleições municipais

Brasileiros foram às urnas neste domingo

Das 18 capitais que tiveram segundo turno nas eleições municipais de 2016, em cinco os candidatos vencedores são do PSDB: Belém, Porto Alegre, Porto Velho, Manaus e Maceió, além de Curitiba, onde o vencedor teve apoio tucano. O PMDB venceu em três capitais no segundo turno: Florianópolis, Cuiabá e Goiânia. 

Veja os candidatos que venceram nas capitais:

 

Sudeste

Rio de Janeiro (RJ): Marcelo Crivella (PRB)

Belo Horizonte (MG): Alexandre Kalil (PHS)

Vitória (ES): Luciano Rezende (PPS)

 

Sul

Curitiba (PR): Rafael Greca (PMN)

Florianópolis (SC): Gean Loureiro (PMDB)

Porto Alegre (RS): Nelson Marchezan Júnior (PSDB)

 

Nordeste

Aracaju (SE): Edvaldo Filho (PCdoB)

Maceió (AL): Rui Palmeira (PSDB)

Recife (PE): Geraldo Júlio (PSB)

Fortaleza (CE): Roberto Claudio (PDT)

São Luís (MA): Edivaldo de Holanda (PDT)

 

Norte

Belém (PA): Zenaldo Júnior (PSDB)

Macapá (AP): Clecio Luís (Rede)

Manaus (MA) Arthur Virgílio Neto (PSDB)

Porto Velho (RO): Dr. Hildon Chaves (PSDB)

 

Centro-Oeste

Goiânia (GO): Iris Rezende (PMDB)

Cuiabá (MT): Emanuel Pinheiro (PMDB)

Campo Grande (MS): Marquinhos Trad (PSD)

 

ACOMPANHE AO VIVO

Atualizar
  • 22h31

    30/10/2016

    ELEIÇÕES 2016: Caros, internautas. Encerramos aqui a cobertura em tempo real do segundo turno das eleições municipais no Brasil. Continue acompanhando os desdobramentos e análises dos resultados eleições no site do Estadão. Obrigado.  

  • 22h24

    30/10/2016

    BALANÇO - O segundo turno das eleições municipais em 2016 teve 293 ocorrências registradas, com 94 prisões. A maior parte dos que foram levados a delegacias (61 casos) estava praticando boca de urna nos locais de votação. No total, 57 municípios do País tiveram a realização de segundo turno neste domingo. Nenhuma seção eleitoral precisou usar voto manual. Foram substituídas 826 urnas, ou 0,89% do total. Por Beatriz Bulla

  • 22h22

    30/10/2016

    OPINIÃO - Jose Robero de Toledo: A hora do voto facultativo: 'Do mesmo modo como cresceram os votos brancos e nulos, voltou a aumentar a proporção dos eleitores brasileiros contrários à obrigatoriedade do voto'http://bit.ly/2fkY323

     

  • 22h08

    30/10/2016

    BELÉM (PA) - Zenaldo Coutinho é reeleito em Belém: http://bit.ly/2dTH465

     

  • 22h04

    30/10/2016

    BELO HORIZONTE (MG) - Após a divulgação do resultado do segundo turno, o prefeito eleito de Belo Horizonte deixou claro que pretende isolar politicamente o grupo do senador Aécio Neves (PSDB-MG). Questionado sobre com quem pretende conversar daqui pra frente, Kalil respondeu que vai falar com o PSB, do prefeito Márcio Lacerda, com o PT, do governador Fernando Pimentel, com o governador paulista, Geraldo Alckmin, e com o presidente Michel Temer (PMDB), mas negou que pretenda dialogar especificamente com Aécio, que preside nacionalmente o PSDB. Por Pedro Venceslau, enviado especial, e Leonardo Augusto, especial para o Estado

  • 21h54

    30/10/2016

    'TERCEIRO TURNO'?: Eleitores de 147 municípios poderão ter de voltar às urnas nos próximos meses para uma nova eleição para prefeito. Isso porque há candidatos que foram os mais votados nas eleições municipais de 2016, mas possuem recursos pendentes na Justiça Eleitoral. O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Gilmar Mendes, afirmou que a Corte tem dado prioridade aos casos relativos às eleições que têm chegado ao Tribunal. No Estado de São Paulo, 27 cidades estão nessa situação, entre elas Bragança Paulista, Araras, Taubaté e Mococa. No Rio de Janeiro, Niterói e Teresópolis estão na lista dos 10 municípios que podem ter eleições suplementares. http://bit.ly/2f79oxH Por Beatriz Bulla, de Brasília

     

  • 21h48

    30/10/2016

    COLUNA DO ESTADÃO - De olho em 2018, Aécio se enfraquece com derrota de aliado em Belo Horizonte: http://bit.ly/2f2n0fa 

     

  • 21h43

    30/10/2016

    FORTALEZA (CE): O número de votos em branco e nulos superaram a diferença entre os dois candidatos que disputavam a prefeitura de Fortaleza. O atual prefeito Roberto Cláudio (PDT) foi reeleito com 678.847 votos contra 588.451 de Capitão Wagner (PR), uma diferença de 90.396. Em branco e nulos somaram 110.444 votos. Por Igor Gadelha

     

  • 21h37

    30/10/2016

    BALANÇO: Doações eleitorais caíram de R$ 6 bi na última eleição municipal, em 2012, para R$ 2,8 bi na atual, segundo Gilmar Mendes, presidente do TSE.

     

  • 21h34

    30/10/2016

    FORTALEZA (CE) - “Eu não sou super-heroi”. Foi com essa frase, repetida diversas vezes, que o atual prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (PDT), comemorou na noite deste domingo, 30, sua reeleição para mais quatro anos de mandato.  A frase era uma referência a seu adversário, o deputado estadual Capitão Wagner (PR), cuja militância foi o símbolo do personagem Capitão América. O uso do símbolo chegou a ser proibido no primeiro turno, mas foi liberado pela Justiça Eleitoral na última semana. Por Igor Gadellha

     

  • 21h28

    30/10/2016

    PARANÁ: Segundo o presidente do TSE, Gilmar Mendes, a mudança de locais de votação devido às ocupações em escolas no Paraná gerou um custo extra de R$ 3 milhões.

     

  • 21h27

    30/10/2016

    PORTO ALGRE (RS) - Eleito em Porto Alegre em disupta tensa, Marchezan diz que conversará com todos os partidos: http://bit.ly/2fkCC0X 

  • 21h20

    30/10/2016

    BALANÇO MINAS GERAIS: A derrota em Belo Horizonte ofuscou o bom resultado do PSDB nas eleições municipais em Minas Gerais. No segundo turno o partido venceu a disputa em Contagem, terceiro maior colégio eleitoral do estado, e elegeu o empresário Alex de Freitas, que disputou sua primeira eleição. Mesmo sem a retaguarda da máquina estadual, que hoje é do PT, o partido de Aécio Neves lançou 266 candidatos e elegeu 133 prefeitos em todas as regiões. O número, porém, é menor que em 2012, quando o PSDB fez 137 prefeitos. Por Pedro Venceslau

  • 21h15

    30/10/2016

  • 21h12

    30/10/2016

    RIO DE JANEIR0 (RJ): O prefeito eleito do Rio, Marcelo Crivella (PRB), disse que não vai entrar em “guerra fratricida” com o governo federal. Segundo ele, o povo não quer que a cidade se transforme “num bunker de luta ideológica e política”. "Chega dessa agenda de 'Fora Temer'. Nós queremos parceria com o governo do Estado, com o governo federal, nós queremos recursos. Nós não vamos mergulhar o Rio numa guerra fratricida que não vai nos conduzir a nada." Por Fabio Grillet

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.